POR QUÊ? PORQUE. POR QUE. É O PORQUÊ.

Não, essa não é uma aula gramatical de usos dos porquês (e será um desafio eu chegar ao fim deste texto sem errar nenhum). É uma história de por que se meter em assunto alheio pode ser o porquê da questão. Há muitos anos prestei assessoria jurídica para uma agência de publicidade que participava deContinuar lendo “POR QUÊ? PORQUE. POR QUE. É O PORQUÊ.”

SOU PRECONCEITUOSA

Sim, o título deste texto é uma confissão. Sou preconceituosa. E acredito que não exista um ser humano que não tenha algum tipo de preconceito. Então afirmo que também você é preconceituoso(a). Não estou falando necessariamente das formas mais conhecidas de preconceito, como o racismo e fobias (homofobia, gordofobia, xenofobia, …), mas qualquer tipo deContinuar lendo “SOU PRECONCEITUOSA”

CORRENDO DA JUSTIÇA

Já ouvi muitas vezes – com o que pessoalmente concordo – que um bom advogado é um bom processualista, aquele que conhece e domina os procedimentos, que algumas vezes sobrepõem-se sobre o próprio direito. Só que pernas rápidas também contam. Certa vez eu e o preposto da empresa que eu estava representando estávamos aguardando umaContinuar lendo “CORRENDO DA JUSTIÇA”

SPACE CAKE

Sou careta. Quadradona total. Nunca pus um cigarro na boca (tenho nojo daquele troço fedido). Sempre fui tão careta, mas tão careta, que nunca tive oportunidade de recusar droga porque ninguém nunca me ofereceu droga. Quando já adulta, depois de formada, programei uma viagem de férias para a Europa: Londres, Paris, Brugge e Amsterdam, oContinuar lendo “SPACE CAKE”

NAMORADO ERRADO

Uma queridíssima amiga teve um breve relacionamento com um rapaz chamado Pedro. Entre suas características mais marcantes e visíveis: o cabelo. Quando o conheci, eu não conseguia fixar a atenção em outra coisa. Pensem em um cabelo feio. Muito feio. Horroroso. Pavoroso. Não bastasse ser um cabelo ruim, mal cuidado, Pedro insistia em usá-lo comprido,Continuar lendo “NAMORADO ERRADO”

NÃO SOU ILMA

Saio para atender a campainha e deparo-me com a kombi de uma floricultura estacionada defronte ao portão. Com um volumoso buquê de flores do campo nos braços, o entregador anuncia a destinatária: “Encomenda para a Sra. Ilma”. Frustrada por não ser eu a destinatária de tão belos exemplares da flora, informo: “Moço, não é aqui”.Continuar lendo “NÃO SOU ILMA”

40

Uma de minhas melhores amigas, quando estava há poucos meses de completar 40 anos, pirou. “Não quero festa, não quero ver ninguém”. “Mas por quê?”, perguntei sem compreender absolutamente nada. “Porque vou fazer 40 anos”, tentou ela a título de explicação. “Descasquei” a coitada. Aquilo não fazia sentido nenhum. NENHUM. Qual era a diferença? 38,Continuar lendo “40”

SOBRE ELOGIOS: O QUE VALE É A INTENÇÃO

Existem muitos elogios que extrapolam os tradicionais (bonita, inteligente, elegante,…) e os vulgares (gostosa, filé, ô lá em casa…). Recebi quatro – nem tradicionais nem vulgares – que foram marcantes, tanto que não os esqueci e agora posso contá-los. O primeiro foi em um feriado prolongado, quando fui convidada para viajar a uma cidadezinha doContinuar lendo “SOBRE ELOGIOS: O QUE VALE É A INTENÇÃO”

ANA L.

Lá no escritório adotamos como endereço de e-mail o primeiro nome da pessoa seguido do domínio do escritório. Então nossos e-mails são ana@…., marilia@…., marcelo@,…, e por aí vai. À medida que novas pessoas iam entrando no escritório, mas o primeiro nome já possuía um homônimo anterior proprietário do e-mail, tínhamos que criar algo levementeContinuar lendo “ANA L.”